sábado, 28 de fevereiro de 2009

on the road

estarei de volta no dia 10 de março


exuberância

na natureza não há disputa por expressão de beleza

desejos ooommm

coloque todos os seus desejos oooommm em ação. não existe espiritualidade fora da realidade.




friend(ship) amiza(h)de amitamistad amicizia


ship...ah... des amis... i é... tá dia


ship... i'm in poetry alive


poesia é pra viver


não basta entender


você pode saber ler e escrever


o importante não é entender


é viver viver viver


passar da letra pra melodia


da melodia pro dia a dia


isso não tem escola que ensina


professor bom só revela (alucina) o aluno que tem vontade e


desafia os limites da realidade


sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

movi(momento) silencioso

amo diamantes. verdadeiros. lapidados. é uma pedra muito mágica. capta e emite luz. há muitos anos estudei cabala durante alguns anos. a professora era química por profissão. ela contou que os mesmos elementos contidos no grafite (da ponta do lápis) estão contidos no diamante. eles se reorganizam através do movimento e do tempo,da rotação. o silêncio que cria através da perspectiva do que não tem fim. o que hoje é diamante um dia foi já grafite. para fazer ouro é preciso ter ouro é umas das máximas da alquimia.todos que tentaram criar ouro falso explodiram junto com seus laboratórios. ela ensinou. adoro captar essa música que existe por trás das plantas brotando, das borboletas leves voando, dos botões de lírios no vaso da sala que, enquanto adormeço, se abrem liberando um perfume delicado que se esparrama pela casa toda.o vento macio sobre o capim do nosso campo que responde balançando enquanto a água do rio bate na pedra e forma espuma e energia borbulhante.esse zumzumzum silencioso que tem por baixo de toda criação. ontem, enquanto escrevia,ouvi uma borboleta, virei o rosto, ela estava mesmo ali passando pela minha janela, muito muito branca em contraste com o muito muito verde da figueira da índia e suas folhas suculentas. fiquei por alguns segundos voando junto com ela, no mesmo ritmo dela, me entregando como ela se entregava aos caminhos vazios do ar, com tanta graça que me fez vibrar na mais pura e calma alegria.essa alegria que concentra, faz amar.não sei quem fez esse colar, parece channel, mas quem sentou e lapidou...desenhou...criou... não sei...daqui eu reverencio a todos que estiveram envolvidos...até esta fotografia a mim chegar...essa beleza alimenta tanto o meu olhar que porisso ele está hoje aqui. para que todos possam usar. e brilhar.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

afinidades eletivas:aquela cuja voz cavalga com o vento

twylah nitsch viveu uma longa vida dedicada a cumprir a sua missão de transmitir a cultura dos povos nativos americanos.era costume na sua tribo, os senecas, a criança receber o nome ainda antes de nascer.o nome já designava o papel que a pessoa teria neste planeta.o avô materno deu-lhe o nome indígena que significa aquela cuja voz cavalga com o vento. aos cinco anos, ela saiu da reserva indígena para estudar e começou o seu contato com a cultura dos brancos. cumpriu o seu destino , foi conferencista e escreveu quatro livros, foi casada durante 50 anos com um homem de origem holandesa (a mãe dele o expulsou de sua vida por ter se casado com uma índia), teve 4 filhos e 4 netos.a história e sensibilidade dessa linda mulher são preciosas.na primeira casa em que ela foi viver, ela dividia o quarto com uma menina.a menina não gostou de ter que dividir o quarto. também não gostou quando twylah aprendeu a tocar piano de ouvido enquanto a outra odiava tocar piano."um dia os pais pediram para que nós duas tocassemos piano para os seus convidados.e porque a menina detestava piano, tocou muito mal , e porque eu o amava toquei com sentimento.eu disse que nunca mais tocaria piano se ela ficasse minha amiga, que diante disso tocar piano nem era tão importante.mas ela não aceitou as minhas desculpas e se recusou até a ir andando até a escola comigo.vi que nunca haveria nenhuma possibidade de amizade entre nós, porque não havia inteireza nessa cultura: todos competiam uns com os outros, em vez de cooperarem, como me haviam ensinado."
"realmente já não me importa se as pessoas consideram bom ou aceitável o que escrevi, estou escrevendo apenas porque é minha responsabilidade fazê-lo. e acho que não é apenas o meu destino, mas o destino de todos, seja lá como for, de algum modo, com que sua voz, sua verdade interna, seja ouvida no mundo.tem gente circulando por aí hoje em dia se intitulando curandeiro, mas ninguém é curandeiro.se as pessoas não conhecem a sua verdade interna , há diretrizes para ajudá-las a se curar, a despertar nelas a consciência daquilo que podem fazer por si. eu ensino as pessoas a dar graças. não a rezar, porque a oração é um pedido de favor.ao dar graças,não estamos pedindo nada para nós mesmos, porque tudo o que precisamos já está aqui...as árvores estão crescendo, os rios estão correndo...curar-se significa sentir gratidão.na própria natureza da pessoa está a chave , a chave para a cura,e essa chave é a gratidão, cuja fonte é a verdade.avó twylah, como acabou ficando conhecida continua uma voz que cavalga com o vento, hoje estou eu aqui a falar sobre ela.outro dia conto mais.

jai ho - o som do meu tambor ecoa

fortune teller de jessica gonacha

o filme slumdog millionaire provocou na índia protestos raivosos (por mostrar sujeira e brutalidade) mas quando os indianos acordaram com a notícia da vitória do oscar com o longa, o país inteiro gritou: jai ho - repetindo a exclamação da trilha - que venha a vitória! o ano passado pegamos um taxi ,eu e ele, de botafogo ao leblon. era noite de lua cheia. o motorista ouvia um samba enredo maravilhoso, pedi pra aumentar o som, fui cantando, agradecida ao jovial homem maduro que nos proporcionou essa trilha que tocou meu coração. jai ho! era o samba da salgueiro que ontem foi eleita a escola campeã deste carnaval.o som do meu tambor ecoa... ecoa pelo ar...e faz meu coração com emoção... pulsar! invade a alma... alucina... é vida, força e vibração!tem batuque... tem magia... tem axé! o poder que contagia... quem tem fé! na ginga do corpo... emana alegria...desperta toda energia! e continuo apaixonada pelo trabalho da artista norte-americana jessica gonacha que mais uma vez apresento aqui.jai ho!tem gente no mundo inteiro que não aceita mais ser prisioneiro da ilusão, do que é cronicamente vazio e banal, como diz clarissa.é no meio desse caos que devemos fazer nascer uma terceira civilização que reage ao sofrimento com arte, humanismo,educação e riqueza espiritual. jai ho! esquenta o couro da paixão...ressoou da natureza... primitiva comunicação!da áfrica... dos nossos ancestrais...dos deuses... nos toques rituais...nas civilizações... cultura,arte, mito, crença e cura! jai ho!





quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

afinidades eletivas 2

ao reler a história marroquina abaixo me lembrei da minha mãe e que sorte ela não ter me criado com medo do boi da cara preta.cantei por dentro ciranda cirandinha, vamos todos cirandar e lembrei de como sempre me indignei quando chegava a hora de cantar (pulando e rindo, de mãos dadas) que o amor que tu me tinhas era pouco e se acabou ou o anel que tu me destes era vidro e se quebrou.as crianças cantam e o inconsciente vai absorvendo tantas mensagens subliminares, absortas pela melodia, pelo movimento e pela gritaria.e quando crescem, alguns se tornam fornecedores de falsos brilhantes, vidro que se quebra e fere,outros são enganados e alguns buscam uma 3ª via. e assim caminha a humanidade.como os irmãos do filme que levou o Oscar, como se tornar um milionário, dois irmãos com a mesma criação e ambiente, duas jornadas bem diferentes.adorei o filme.até porque ele não é dualista.também me fez pensar como os que alimentam a desumanidade agridem os que conquistam conhecimento durante a sua vivência, como acontece com o menino que responde a perguntas na tevê.releio partes de livros preciosos da contadora de histórias, poeta e psicanalista junguiana Clarissa Pinkola Estées, e agradeço mais uma vez a minha avó,meus pais, amigos e mestres e a mim mesma (por ter feito perguntas e buscado respostas) que me conduzem pelo caminho que busca dignificar a vida.... alguns trechos:...portanto, que sempre consigamos resistir a quaisquer falsidades coletivas que procuram anular a visão e a audição da alma.assim, a mulher sábia espia do meio do bosque cerrado.que nos afastemos dos zombeteiros que não ouvem esse chamado para a vida da alma.assim, a mulher sábia avança por seu caminho. se necessário for,que nos transformemos em alegres subversivas que estão em constante crescimento e tem um coração luminoso e calmo. assim , chega o espírito à superfície do lago. que nos recusemos a ser jogadas para cair em um lugar qualquer, mas, em vez disso, vamos planejar e cumprir nossas fugas do que é cronicamente vazio e banal. assim, o espírito se ergue em pleno esplendor.a mulher sábia sabe o que deve morrer, deixa que morra e não fica histérica com isso, e sabe o que merece viver e segue confiante.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

minhas afinidades eletivas



esta história conta como certas tribos do deserto marroquino vêem o pecado original:

Eva passeava pelo jardim do Éden, quando a serpente se aproximou.

- coma esta maçã - disse a serpente.

Eva, muito bem instruída por Deus, recusou.

- coma esta maçã - insistiu a serpente - porque você precisa ficar mais bela para o seu homem.

-não preciso - respondeu Eva - porque ele não tem outra mulher além de mim.

a serpente riu:

- claro que tem.

e como Eva não acreditasse, a serpente a levou até o alto de uma colina, onde existia um poço.

- ela está dentro desta caverna. Adão escondeu-a ali.

Eva debruçou-se e viu, refletida na água do poço, uma linda mulher. na mesma hora comeu a maçã que a serpente lhe oferecia. segundo essas tribos, volta ao paraíso todo aquele que se reconhece no reflexo do poço e não teme mais a si mesmo.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

minha belle époque


hoje mais do que ontem. era 2006. eu senti e anotei : meu intelecto é ágil porque o meu coração é veloz.cheguei na reunião. sentei.alguém citou fagner (meu coração é que não entende o compasso do meu pensamento) e completou: meu coração só avança quando acompanha o compasso do meu pensamento. antes e depois sinto o mesmo: meu intelecto é ágil porque o meu coração é veloz.

sábado, 21 de fevereiro de 2009

contras que são tudo

eu apresento a página branca.contra: burocratas travestidos de poetas sem-graças travestidos de sérios Complacentes travestidos de justos Chatos travestidos de coitados Passivos travestidos de pacatos Medo travestido de senso Censores travestidos de sensores palavras caladas travestidas de silêncio obscuros travestidos de complexos fraquezas travestidas de virtudes bagaços travestidos de polpa bagos travestidos de cérebros celas travestidas de lares lobos travestidos de cordeiros pedantes travestidos de cultos egos travestidos de eros lerdos travestidos de zen burrice travestida de citações aquário travestido de tevê água mole sem pedra dura água parada onde estagnam os impulsos água que turva as lentes e enferruja a lâmina água morna do bom gosto, do bom senso e das boas intenções insípida,amorfa,inodora, incolor..........
(arnaldo antunes - do livro tudo)



quero que o meu amanhã seja um hoje bem melhor: já é

eu na praia com uns dez anos. aproveitando desde manhã o clima de carnaval pra usar uns chapéus excêntricos que minha mãe estilista trouxera de alguma viagem (ela sempre viveu à frente de seu tempo, corajosa e libertária, a minha muito mais que "leila diniz").olho esta foto (meu pai sempre amou fotografar em preto e branco) e vejo que o meu amanhã sempre é um hoje bem melhor, como o samba enredo da império, no ano em que eu já era mãe a dava sopinha na boca pra minha linda passarinha,cantando e sambando no pé: eu quero, a bem da verdade a felicidade em sua extensão encontrar o gênio em sua fonte e atravessar a ponte dessa doce ilusão (quero, quero, quero sim)
quero que meu amanhã, meu amanhã seja um hoje bem melhor, bem melhor uma juventude sã com ar puro ao redor.....chega de sufoco e covardia......é tempo de bonança dona liberdade chegou junto com a esperança.cada um vive o carnaval, assim como o ano inteiro de acordo com a sua realidade. tem alegria pura e sincera e tem também o desperdicio de quem se enche de fantasia e máscaras e não consegue descobrir (durante o ano/ou uma vida inteira) como é bom ser gente de verdade.vem meu bem, vem meu bem sentir o meu astral, que legal...quero que o meu amanhã seja um hoje bem melhor . já é!

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

árvore de diamantes

árvore de diamantes de Jessica Gonacha
estou muito muito muito feliz. plantei pedrinhas brutas e colhi diamantes!
qualquer palavra que hoje eu escreva ainda é pouco pra descrever a gratidão que sinto por todos que me ensinaram o que é ser verdadeiramente livre!
plantei pedrinhas brutas e colhi diamantes!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

meu aqui

todos os seres que são de fato humanos estão preocupados em criar um mundo de verdadeira abundância e prosperidade e por fim a todas essas crises e guerras e conflitos provocados por mentes mesquinhas,egocêntricas e desequilibradas. todo mundo que já despertou de um sono hipnótico e vive dentro da realidade sabe que abundância não vem de fora, não é criada por algo sobrenatural nem por nenhuma autoridade fora de nós.como vê esta linda artista,Liz Kalloch, que pintou esta obra abundância & imortalidade.imortalidade é tudo o que é eterno e não morre com o tempo.é atemporal,assim como, por exemplo, o direito à liberdade de se criar,expressar,pensar, dialogar deve e sempre deverá ser imortal.veja como ela nos apresenta a sua obra:o meu trabalho sempre traz nas entrelinhas símbolos nas imagens pintadas. nesta obra, uma peônia,flor que na cultura chinesa é símbolo de prosperidade, abundância e honra, também ligada ao mineral cinabre que, numa tradução direta, é o remédio da imortalidade.antigamente, tanto os europeus como os chineses comiam cinabre – um vermelho sulfeto de mercúrio – para manter eterna a juventude. “ele dava à pele o brilho do sol”.a peônia junto com o cinabre, eram considerados símbolos de renascimento, regeneração, uma espécie de fênix que renasce das cinzas. desejo que todos trabalhem, criem e conquistem abundância & imortalidade.com paixão, talento, sabedoria e muita muita vontade.

meu agora

apaixonei pelo trabalho dela - Jessica Gonacha. dentro deste universo virtual agradeço agora o abraço que a arte dela vem me dar. este é o meu momento.ela diz que está começando a compreender isso. então desejo que possamos todos comprovar o melhor do melhor da nossa elevada imaginação. porque o que é bom de verdade nunca é bom apenas para um só.thank's Jessica, boa sorte somos nós!que o mundo globalizado colabore para que a verdadeira cultura, arte, o enriquecimento humano e as amizades que promovem a expansão do belo e do bem, a diversidade que se une, façam a vida vencer.de agora em diante não peço mais boa sorte, boa sorte sou eu (Walt Whitman)

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

quarta crescente (in spite of)

flying in spite of everything de Liz Kalloch
vençam a mentira com a verdade - Leon Tolstoi


blablablablabla

arnaldo antunes
exposição blabatyblahblablah - ben woodeson - london 2005

moleskine por ben woodeson



nunca mais

chega, basta, nunca mais, stop, parou. agora é definitivo. ela sempre achou que "nunca mais" era forte demais - não, assim não, assim: nunca mais (sem aspas) nunca mais revigorante, nunca mais solto, nunca mais leve, nunca mais cheio da mais alegre decisão e gratidão.finalmente o tempo chegou. o tempo de nunca mais tentar compreender aquilo que não quer e não quer ser e ponto final.finalmente o tempo chegou. o tempo de nunca mais aceitar, ou melhor, rejeitar todos esses seres, excelentes ilusionistas, mas que no fundo continuam teletubbies, fofoletes 'made in anger', mentirosos, falsos,tiranos que se servem de máscara sob a qual se defendem contra os questionamentos do mundo, movidos pela incapacidade de ser e viver e amar e dialogar como humanos.chegara finalmente o momento de sua grande libertação.lá no fundo, de onde brotam todos os profundos sentimentos, ela agradecia a todos eles a oportunidade por tão profunda e prática compreensão.desta vez foi Goethe quem correu ao seu encontro: destiny grants us our wishes, but in its own way, in order to give us something beyond our wishes. tinha vontade de gritar bem alto, um grito primal,de muita vida em ação e cantar todas as canções,todos os poemas, dançar todas as danças que a trouxeram até aqui.finalmente ela estava livre, era livre e a sua vontade era de abraçar o mundo, sair a rua e sorrir, dizer a todos que é só querer,sim, ser livre é completamente possivel.finalmente ela compreendera do que se trata a tão sonhada paz. o quarto ficou laranja e lilás enquanto ela escrevia.foi a janela: o céu estava muito azul e as nuvens brilhavam incandescentes e coloridas. no more talk of darkness.

liberdade, igualdade, fraternidade já!

já fez a sua própria revolução francesa? tá mais do que na hora.liberdade é não ter medo de ninguém, muito menos de você. abaixo os algozes, os falsos libertários,os burocratas de plantão,os que acham que o que uma pequena elite decide é o desejo e é bom pra nação.gente que permite que entre lixo nos seus ouvidos,mente e coração.hoje amanheci cantando: all i want is freedom, a world with no more nigth and you always beside me, to heal me and to guide me.no meu canto, you não se refere nem a amante nem a patrão.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

domingo, 15 de fevereiro de 2009

tempo de ser feliz de verdade

ontem foi um dia lindo. tempo de encontrar muitas pessoas num tempo de celebrar encontros com a consciência sobre o tempo que cada um quer e pode criar.tempo de aniversariar. todo dia ser ano novo.prometer e cumprir.fazer.amar.rejeitar tudo o que não presta com o coração leve e confiante na vida que sempre quer brotar e florescer e perfumar de um jeito que é brisa fresca e revigorante. foi também o começo da era da aquarius, aquela cantada na peça hair a tantos anos atrás. recebi um email assim:no alvorecer do dia 14 de fevereiro de 2009, o cosmos realmente vai personificar este perfeito alinhamento que irá apoiar nossa manifestação coletiva de amor e paz, no alvorecer da era de Aquarius. teremos um alinhamento planetário maravilhoso. estamos caminhando rumo a um novo tempo - o tempo que nós escolhemos criar, viver e manifestar a cada dia através de nossos pensamentos, intenções, sentimentos e ações.o mapa astral do dia revela uma incrível concentração de influências cósmicas combinadas com as energias de Aquarius na décima segunda casa. Júpiter, o planeta da expansão, e Marte, o planeta da energia,estarão alinhados com o objetivo mais elevado.a presença de Quíron, o curador ferido, nos oferece a oportunidade de curar os fatos que nos separaram durante tanto tempo de nós mesmos e do todo, Netuno enfatiza os movimentos humanitários coletivos e a co-criação da justiça social. a presença do SOL ilumina todo este alinhamento especial.Mercúrio, também na décima segunda casa, porém em Capricórnio, se alinha com Plutão que significa Transformação para se comunicar e ancorar a MUDANÇA através de nossas estruturas globais e instituições.A Lua em Libra na sétima casa enfatiza o início de relacionamentos harmoniosos.Vênus em Áries na primeira casa energiza e dá poder à co-criatividade e ao dinamismo.Saturno, o grande mestre do trabalho em oposição à Urano, o desperto inesperado, sugere uma série de confrontações dos velhos paradigmas que não são mais sustentados, entregando-se ao novo paradigma com novas esperanças. Sua colocação entre Virgem e Peixes traz altruísmo prático e inspiração visionária nesta transição.vamos criar juntos com o cosmos o alvorecer da era de aquarius.
acabou o horário de verão. depois de muitos encontros, eu e ele ainda saimos juntos e a sós. fomos dormir as seis da manhã. hoje acordo tarde e serena, leio o jornal na cama com croissants que ele me trouxe. na revista tem artigo do Bena Lobo, sobre o tempo. entre outras reflexões bem lindas, ele diz: acabo de lançar um cd e dvd que gravei há dois anos e só saiu agora. as pessoas me perguntam por que?não sei, mas acho que foi ele, o tempo! precisei desse tempo. alguns artistas se acomodam com o tempo, outros buscam o aperfeiçoamento e a evolução. escolhi o segundo caminho......Noel Rosa fez 300 canções em 26 anos de vida, já Dorival Caymi compôes 90 músicas em 94 anos de vida....cada um no seu tempo e com o seu tempo..........já dizia Nelson Rodrigues:"jovens, envelheçam."... o tempo é sábio e é ele quem diz.o tempo fala o tempo todo. basta estarmos conectados com ele. ninguém mais tem tempo para nada. estamos numa época sem tempo e contra o tempo. acho isso muito triste. as pessoas não doam mais o seu tempo........tudo na vida depende do tempo.você planta e só depois colhe. e o tempo da colheita não tem data certa. acredito muito que ação e reação são determinações plantadas diariamente.
eu também, santée! à champagne que já foi uva, ao terno de linho branco que ainda ontem era flor, à canção que continua linda e nunca morre,ao amor que sinto por vocês, por você, que a cada dia aprendo a sentir mais por mim, varrendo do meu tempo esses hipócritas que gentilmente sufocam os outros por jamais terem/criarem tempo pra si.

i beg your pardon?

hoje estou meio que em estado de choque, como uma criança que já desconfiava que Papai Noel não existe, mas foi-lhe confirmado oficialmente.
e encantada com a descoberta de como a palavra escrita,em certos idiomas, como o japonês, faz com que o que parece ser apenas uma alteração silábica indique na verdade uma idéia.ex: wakaru = kawaru
wakaru = compreender kawaru = transformar
compreender = transformar
estou meio chocada com pessoas que aparentavam ter compreendido e continuam promovendo mentiras e mais mentiras. até quando,hein?
pego uma revista e leio:segundo o pesquisador da paz escandinavo Dr. Jan Øberg, co-fundador e diretor da Fundação Transnacional para a Pesquisa da Paz e do Futuro, o importante é não abandonar a área de conflito, permanecendo no local e ouvindo as vozes dos cidadãos comuns e, então, fazer essas vozes serem ouvidas em todo o mundo. ele tem plena convicção de que este é o único caminho pelo qual a paz pode ser alcançada.
um pesquisador da paz que não se envolve na cena do conflito é como um médico que trata seus pacientes sem examiná-los. isso não vale somente para os pesquisadores da paz, diz ele. o mesmo se aplica aos que tomam decisões.a mentira é o recurso dos covardes.


sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

happy and

eu acredito em cooperação, em soma de talentos que se unem para criar uma cena que ilumina a vida de todos.como mulher de teatro sei que nem monólogo a gente faz só.tenho um livrinho que ganhei de uma amiga de infância, guardo com o maior carinho, ele me acompanha em todas mudanças, é o livro das atitudes, de sonia café.olha o que ele fala sobre cooperação: onde há cooperação não existem disputas de poder. a atitude cooperativa é aquela que enfatiza os pontos de convergência dentro de um grupo ou num relacionamento para criar solidariedade e parceria. quando cooperamos, reconhecendo a dignidade de cada ser humano e a contribuição que tem para dar, nosso poder pessoal se transforma em serviço para o bem de todos a nossa volta.a natureza nos dá a mais bela lição do que realmente significa cooperar. depois seguem sugestões práticas para uma atitude cooperativa, como: para ser cooperativo é importante saber escutar e reconhecer as idéias e visões das outras pessoas dentro de um grupo ou relacionamento.quem compreende do que se trata a vida sabe disso, quem não compreende tá mais do que na hora de aprender.me lembrei agora de que já trabalhei como repórter num grande jornal (obrigada Sábato Magaldi) e fiz algumas entrevistas para uma revista feminina.nunca mudei uma linha do que o entrevistado contava,nunca precisei induzir o leitor a seguir a minha percepção, bastava o leitor ler (ouvir) o que o entrevistado contava para chegar as suas proprias conclusões.delicadamente também sempre recusei presentes de pessoas influentes, mesmo que fosse uma singular caneta. tenho histórias pra contar.amo essa brincadeira do Arnaldo Antunes com happy end e happy and.amo essa arte feita pela Menina Sem Século (vide endereço no minhas afinidades): os patinhos confiam que o outro patinho escalará.por falar em patinho, até hoje me comovo com a história do patinho feio e vibro quando ele se reconhece cisne e encontra a sua turma. recentemente li o conto em sua forma ancestral, no livro da Clarissa Estées. ela termina o conto dizendo: não se encolha nem recue se for chamada de ovelha negra, indisciplinada, de loba solitária. quem tem a visão lenta diz que o rebelde é uma praga para a sociedade. no entanto, ficou provado com o passar dos séculos que ser diferente significa estar no limite, significa ser praticamente garantido que essa pessoa vá fazer uma contribuição original, uma contribuição útil e espantosa a sua cultura.ao procurar conselhos, jamais dê ouvidos aos tímidos de coração.seja gentil com eles, cumule-os de bençãos, tente incentivá-los, mas nunca siga os seus conselhos.se você alguma vez foi chamada de desafiadora, incorrigivel, saliente, esperta, insubmissa, indisciplinada, rebelde, você está no caminho certo. se você nunca foi chamada disso, ainda é tempo.

eu acredito em dharma


quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

the man who / a seleção do tempo

....basta observar o estado do mundo, o estado dos governos, o estado dos partidos políticos, o nível de criação artística dos nossos dias, para ver uma coisa fundamental: na estrutura do universo existe um movimento inevitável que puxa tudo para baixo. quando se dá esse movimento geral para baixo, como a maior parte da história do século 20,criam-se as condições que permitem a certos indivíduos ir contra essa corrente;se não houver indivíduos suficientes para entrar no carro blindado da mediocridade, o movimento nessa direção não poderá prosseguir. se todos que trabalham em relação com os outros forem absolutamente sinceros,serão obrigados a constatar que a mediocridade é um conforto, uma comodidade para todos.mesmo quando todos a denunciamos, sempre contribuímos com a mediocridade através da preguiça, porque é mais fácil.voltando a nossa área, o teatro,em todos os lugares existem exemplos de mediocridade, em todos os níveis.por isso sempre é e será importante que existam pessoas que não lutem contra a mediocridade somente com palavras mas também com trabalho, concreto e exemplar. Peter Brook
qual o tempo em que queremos viver? o tempo da mediocridade ou da vitória da humanidade?

blue man

ei, David...hoje eu chorei, preferia que você tivesse continuado por aqui.faz tempo que a gente não se encontrava. recebemos o recado que você deixou no sábado.também estavamos com saudade.chorei macio e mansinho.nem vou falar sobre biquinis de croche ou lacinhos, meus preferidos sempre.lembrei desse, com estampa de bananas, verde e amarelo, super ousado, finzinho (?) de ditadura, ninguém gostava de verde a amarelo, mas você gostava, eu também.gostava do seu jeito destrambelhado e debochado,enorme,seu vozeirão,seus defeitos fizeram com que um dia eu gritasse contigo em Ipanema e assim nos tornassemos amigos, a mesma paixão pela natureza, você nunca permitindo uma opinião que não fosse a sua e depois me surpreendendo e delicado.lembro de um imenso abraço de amigo, o tempo gelado,nós hiper engasalhados, eu me sentindo super pequenininha, a própria Jessica Lange, é no filme do King Kong, não, não tô te chamando de nada, pára, a sua risada,ai, também não aguento a invasão dessa luz escancarada, adorei quando um dia você falou eu gosto dele porque ele é declaradamente do mal, assim você sabe com quem está lidando,e aquela festa junina absurda? a gente querendo quentão e maçã do amor e só tinha cd pirata e casaco de pseudo-couro, você puxando a manga do casaco do cabloco, qualé cara? tá querendo imitar teu patrão? achei muito legal você ter trazido a indonésia pra cá,achei que as plantas não resistiriam a geada, mas elas estão aí crescendo vibrantes,pensei em você o dia inteiro,rindo,enfim... fiquei te imaginando deitado, as janelas da casa abertas.o que posso te dizer? foi muito maneiro.preferia que você tivesse ficado.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

arte de amar/ter coragem/capacidade de prometer

cansada de ver tanta distorção.pessoas sofrendo, confusas, procurando enxergar com clareza no meio da escuridão. confiante na conquista da vitória da dignidade humana. voltei pra casa. madrugada.o livro velhinho sobre a mesa. abro assim pra ver onde vai dar. leio. é erich fromm. leitura que também me abriu a consciência, tinha 20 anos quando li.lembro que esse livro organizou o que eu já sentia.ontem também.a página que abri, assim... sem querer, diz:fé no poder é oposto de fé na vida.se a fé tradicional se enraíza na submissão a uma força que se sente esmagadoramente vigorosa, consciente e onipotente, e na abdicação da força e do vigor que se tenham, a fé racional se baseia na experiência oposta. temos essa fé num pensamento porque este é o resultado do que nós mesmos observamos e pensamos.temos fé nas potencialidades alheias , nas nossas, na humanidade,porque e só até o grau em que experimentamos o crescimento de nossas próprias potencialidades, a realidade do crescimento em nós, a força do nosso próprio poder de razão e de amor.ter fé requer... vejo então anotado ao lado com minha letra em caneta azul( diz:a melhor definição de coragem que vi até hoje): ter fé requer coragem, a capacidade de correr risco, a disposição de aceitar mesmo a dor e a decepção.quem quer que seja que insista na incolumidade e na segurança como condições primárias da vida não pode ter fé ; quem quer que se feche num sistema de defesa, em que a distância e a possessividade sejam seus principais meios de segurança , faz de si um prisioneiro...........esta coragem é muito diferente daquela que usava o ditador Mussolini ao usar o lema “viver perigosamente”. sua espécie de coragem é a coragem do niilismo.enraíza-se numa atitude destrutiva para com a vida, na predisposição de jogar fora a vida por ser incapaz de amá-la. a coragem do desespero é o contrário da coragem do amor, assim como a fé no poder é o contrário da fé na vida. volto a página, minhas anotações indicam em azul: essencial, releio o que anotei achar essencial: a fé em si mesmo é uma condição de nossa capacidade de prometer,e se o homem, como disse Nietzsche, pode ser definido pela sua capacidade de prometer, então a fé é uma das condições da existência humana.páro, fecho o livro, penso....passa na minha mente o porque de nos sutras budistas as forças que tentam subjugar , dominar , submeter a verdadeira criatividade e valor humanos, o falso poder enfim, são chamadas de demônios (por sugarem a energia dos outros já que não conseguem entrar em contato com a própria) ou ladrões de benefícios.jogar fora a vida por ser incapaz de amá-la.deu um click:é assim que surgem as síndromes que estão na moda:anorexia, pânico e depressão.sem falar da eterna fofoca.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

a permanência dentro da mutação - 2

a água, o rio , o mar. gosto desta foto (do rio que passa lá em casa). ele vem na direção do nosso olhar, então o rio ou o oceano podem ser eu e/ou você. rio me passa também a imagem de aprendizado em constante construção e mutação.parece fazer teatro , tão próximo de viver em constante relação. pra quem quer ver.sempre tem os que escolhem essa nada fácil profissão só para colocar a vaidade desmedida (baixa ou alta estima em exibição.isso não é arte.pra mim é como batata frita com sabor de churrasco, praia artificial.não alimenta de verdade.sim, é uma opção.em mim só provoca gases e tédio.sempre me pergunto por que quem não suporta ver sangue e vísceras escolhe ser cirurgião.ou não enxerga nada além, se acha o bon vivant e sempre escolhe fast food como única e primeira opção.não dá pra fazer cirurgia de olhos fechados.qualquer ação física, no palco ou na vida, pode ser puro bullshit ou não.perguntaram para Jerry Grotowski (em 1980) se Stanislavsky, seu mestre, era importante para o novo teatro.socorro, que perguntinha,hein? ainda bem que fizeram....ele respondeu assim - repetiu a pergunta e disse: não sei. há muitas coisas novas como as revistas de moda.e há coisas novas porém antigas como a origem da vida. por que fazem essa pergunta? dêem a sua própria resposta a Stanislavsky – que não se baseie na ignorância sobre o assunto mas sim num conhecimento prático. ou você é criativo ou não. se você é criativo, de algum modo você irá superá-lo. se você não é criativo, você será fiel, porém estéril.hoje meu grito é contra a esterilidade -(fiel e estéril, muito bom) - que nunca deve prevalecer. nem no palco nem na vida.é assim que os rios secam, o mar fica imundo, pela esterilidade mental, emocional e espiritual dos homens que insistem em serem fiéis aos paradigmas que só repetem o que,no fundo,não interessa a nenhum ser vivo.as flores da foto são beladonas,alguns fazem chá pra provocar alucinação,ou na época de Shakespeare, chá pra morrer por paixão, ou também remédios que na dose certa curam feridas, dores e machucados para que continuemos sãos.

sábado, 7 de fevereiro de 2009

a permanência dentro da mutação

ela achou este bilhete dentro de um livro:
si, você é como se fosse
um livre pensar
um livre sonhar
natureza. chuva - sol -
mar - montanha -
rio - água -
cristal forte
de sensibilidade de vento
e de estrela.
é assim que amo você
hoje.sempre.
beijo beijo, lu
ela - lu,este bilhete tem validade?
ele- não. é assim que continuo vendo você.

retrospectiva ativa

fazia muito muito calor. não, hoje ela não queria sair. a semana fora muito intensa como sempre fora a sua vida.movida a paixão. lembrou, desta vez,da Anais Nin dizendo what everyone forgets is that passion is not merely a heightened sensual fusion but a way of life which produces,as in mystics, an ecstatic awareness of the whole life.hoje precisava ficar quieta. e estava.por dentro e por fora.plena.corpo quente.já dormira e acordara.estava dando uma pequena bronca em si mesma, afinal não era de hoje que o ser humano que ela mais admirava já tinha lhe dito, e há um bom tempo, (do alto de seus 81 anos recém comemorados)que não podemos ser generosos com pessoas inescrupulosas pois elas retribuirão a nossa amizade com inimizade e ingratidão. que dura lição.nem todos estão dispostos a transformação.hello poliana...sim, ela tinha esse lado desde criança de em tudo ver o lado bom. mas agora estava aprendendo que não era bem assim...para que a poliana vencesse tinha que ter muita , mas muita ação. ela vivia fazendo gracinha que paz não é dar as mãos em multidão, todos vestidos de branco.isso era apenas um mutirão, uma demonstração de vontade que não avançava não. paz era uma conquista individual.uma postura que exigia diálogo coragem e determinação.e decisão em movimento.ela adorava as palavras harmonia da diversidade – juntas assim.para ela sempre foram uma inspiração. vivera isso desde a infância.mas também nunca se alienara das forças opressoras que buscavam calar a vida em sua livre e consistente expressão. ela sabia que era possível e real. mas agora já estava bem grandinha e não podia mais perder energia com quem não quer nada, não tem amor nem reflexão, e ainda tenta atrapalhar a vida de quem quer.sim, claro, tudo tinha o seu lado positivo dependendo da reação.não iria mais pensar nisso.a semana lhe trouxera muitas respostas em forma de gente linda,viva,criativa,produtiva,comprometida.de sua mente e coração voavam esta noite beija flores,rosas abertas,soutiens rendados,trevos,rendas e especiarias,borboletas azuis e uma invisível e mágica espada afiada bem dourada para refutar tudo o que não é bom.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

olhar triste

não se pode mover - nem pessoas nem animais - à força. que planeta é esse?

o queijo e os vermes

hoje eu me lembrei de um livro que ganhei e li há anos, o queijo e os vermes, de Carlo Ginsburg. é uma história real, sobre Menocchio,um moleiro (moía grãos) que, no século 15, foi condenado a morte pela inquisição porque pensava e queria dialogar sobre a sua visão do mundo.lembrei como chorei copiosamente quando terminei de ler. no interior da Itália, observando a natureza e sendo um dos poucos que sabia ler e tinha em mãos um único livro que recebera de presente de um viajante,Menocchio chegou a conclusão que a Terra não era o centro do universo e porisso, por suas idéias consideradas pagãs, foi condenado a morte.ele não se importou, precisava dialogar. " o importante não é o que Menocchio leu ou recebeu- é como leu, é o que fez de suas experiências; o que diminui a distância que se costuma propor entre leitura e escrita, entre uma postura passiva e outra ativa frente ao conhecimento." - diz o autor no posfácio que me fez chorar.mais: como devia ser triste para ele só ter para conversar alguns campônios desinformados e, pior, de pouca curiosidade. porque em Menocchio importa menos o conhecimento que acaso tivesse , e mais a sede de curiosidade- essa paixão que a Igreja e os poderes reprimiam e que os renascentistas valorizavam. na orelha do livro, o apresentador fala como essa história mostra a importância do mental e emocional na produção do social. eu sei porque me lembrei desse livro hoje. não estou só.e vamos criar um novo renascimento.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

sustentáveis e preciosas imperfeições

adoro cama desarrumada. adoro pequenas imperfeições.elas são vida.pilha de livros no chão. uma xícara de café tomada e largada na mesa.papel amassado.as folhas esparramadas na grama depois do vento.quando construímos a nossa casa no campo , pensamos assim, nas curvas das montanhas, dos rios, nos troncos de texturas sulcadas. acompanhamos a natureza,deixamos (não escondemos) o cimento escorrido entre os tijolos aparecer.não tenho preconceitos, tenho algumas idiossincrasias (não gosto de ver gente comer com a boca aberta... fazendo barulho então...implico com homem que usa mocassim...barriga tanquinho construída em academia...mulher que se acha gostosa...gente que liga (sem licença) a cobrar na maior cara de pau como se fosse a coisa mais natural ...que mais? gente que não tem curiosidade e é cheia de verdades... enfim...) acho que não tenho pré-conceitos (sei lá, posso até me flagrar descobrindo um – mas jamais desses desumanos). fui criada desde pequena a experimentar e não fazer cara feia antes de conhecer.nunca gostei de bife de fígado mas minha mãe ensinava pra não torcer o nariz, muito menos na frente de quem gosta pois poderia ofender.ela sempre dizia que "não existe eu não gosto antes de conhecer" enfim... tenho, na verdade, alguns pós-conceitos, por exemplo, já vi muitos e muitos casos de gente arrumada demais , não falo de roupa,falo de postura,expressão no rosto,tom de voz, que cedo ou tarde se revela super deselegante e desalinhada, completamente anti natural (tem hífen é? hifem agora tem acento? hifen termina com eme ou com ene?) ih... desde menina também nunca acreditei que hímen é que definia a virgindade de alguém (tem agá? é assim mesmo que escreve?).deu pra entender? gente que nega imperfeições , aparenta ser sempre uma cama super arrumada e debaixo da cama esconde seu verdadeiro aspecto que cria um mau cheiro que ninguém descobre de onde vem.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

noite:la vita è adesso a vida é agora

amanheci com o filme la vita è bella na mente, a noite chegou com la vita è adesso, cult song, a vida é agora.. canto:sei tu che hai un vento nuovo tra le braccia ( é você que traz um vento novo entre os braços) e sei tu, nel tempo che ci fa più grandi e soli in mezzo al mondo con l'ansia di cercare insieme un bene più profondo (é você, no tempo que nos torna maiores e sós no meio do mundo com o desejo de buscar um bem mais profundo)... e no meio do caos,do belo e do agora ,esta foto linda que capta o movimento (sempre em curvas) da luz do amanhecer.lembro do que ele me disse um dia : um pião só fica em pé porque está em movimento. e agora você chega, no meio do vendaval, as folhas entram pela janela , as fotos se esparram no chão e, sem saber que passei o dia cantando la vita è bella e adesso, você traz um redondo pão italiano. e me oferece vinho.estou tão concentrada e tão a flor da pele e em vários lugares ao mesmo tempo.estrelas que se juntam aos lampiões... milhões... la vita è adesso...va pensiero...

dia: a vida é bela

acordei hoje lembrando desse filme " A Vida é Bela". pensei sobre os holocaustos que persistem no momento presente,que começam disfarçados sob um sorriso,palavras enganadoras,pequenos holocaustos que somados podem acabar gerando grandes holocaustos.e a resposta a isso tudo neste momento presente. fico feliz em ter selecionado o meu tempo neste tempo, o tempo de criar relações verdadeiramente humanas, criar e celebrar as pequenas/grandes vitórias juntos, a partir de mim ,de continuar acreditando e comprovando no micro, a cada segundo, que a humanidade tem jeito sim.hoje esta é a homenagem que faço aos lindos amigos que o tempo me traz o tempo todo, que também estão nessa onda de , no meio do caos, fazer o belo, a verdadeira arte vencer.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

desperta

o celular toca.acordo.procuro o celular no chão.só lembro do seguinte que o sonho passou: quando você vive a sua verdadeira essência, você cria a oportunidade para que a sua verdadeira essência se expresse.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

profunda alegria

sábado, fim de tarde. a natureza responde com fantásticas cores a um encontro de mulheres dispostas a fazer a vida autenticamente criativa vencer, as nuvens preparam a chuva que vai chegar para purificar o ar e regar, fazer brotar, os raios caem imensos pouco depois fazendo a natural percussão para esse momento tão especial.tudo em harmonia. ela lembra de um presente que um dia a tocou: quando escolhemos o caminho da profunda alegria,todas as nossas atitudes ganham um brilho especial.a natureza percebe e responde. o céu traz cores,canta,as montanhas observam solidárias,com toda a força que tem, esse novo tempo que quer nascer , o tempo em que o verdadeiramente belo será maior do que o lixo que alguns ainda insistem em oferecer.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

urgente !


para o ser humano fazer florescer sua autêntica humanidade exige um esforço sobre-humano que nem todos estão dispostos a empreender.ao postar a Vênus de Botticelli e perceber porque essa obra de arte nunca morre, me lembrei que ela tem um clima da Lakshmi, deusa indiana da boa sorte, prosperidade,sabedoria, que também se ergue no centro do quadro, aqui cercada por elefantes ou pelo mitológico Ganesha, outro deus indiano, removedor dos obstáculos (na tradição indiana)protetor dos artistas, segundo amigos meus, dois atores de verdade que foram à Índia.Lakshmi também é companheira inseparável de Sarasvathi, a deusa do conhecimento ~já que não existe sabedoria sem espírito de procura.essas imagens não estão fora de nós. estão dentro de nós. arquétipos de poderosas forças criativas que habitam o nosso inconsciente , o inconsciente coletivo.aciona quem quer. para que se manifestem e entrem em ação.façam a vida, em sua total magnitude, vencer com um simples sim ou não.Botticelli disse não a opressão.como disse Einstein - a coisa mais bela que o homem pode experimentar é o mistério. é essa emoção que está na raiz de toda ciência e arte. o homem que desconhece esse encanto, que é incapaz de sentir admiração e estupefação, este já está, por si assim dizer, morto, e tem os olhos extintos.desejo que a sensatez volte à moda, como clamou Jabor em seu artigo esta semana que já passou. sim , concordo que existe, como ele diz, um desejo profundo de negar a inteligência e de se refocilar no excremento da estupidez, é quase uma vingança animalizada contra o tédio da civilização...e essa fome de imbecilidade cresceu e explodiu. e há uma rima entre essa crise e a chegada de Obama, que encarna uma fome de sensatez e eficiência. o artigo é sensato e acredita que Obama fará muitas coisas mas não impedirá o ressurgimento de uma nova bolha de burrice...aos poucos voltará a saudade de caretice, do atraso, da estupidez. é...esse movimento é contínuo mesmo - da autêntica humanidade contra o atraso.a vitória da humanidade não depende dos outros mas de cada um de nós. estou farta de seres piegas que vivem fora do tempo e espaço, fora da real evolução e percepção da história, alguns até com pensamento/comportamento neo-hippie, dá pra acreditar?em 2009 dc?????????? e que empreendem uma hipócrita e fanática cruzada (totalmente embasada em intrigas e fofocas, vivem só no virtual) usando a palavra salvar. detesto a palavra salvar. socorro!!! boa sorte e real prosperidade não caem do céu, se constroem! não é por acaso que a cultura indiana expressou Lakshmi acompanhada por Ganesha e Sarasvathi.

Related Posts with Thumbnails