terça-feira, 7 de julho de 2009

lar mundo lar

nunca pensei que fosse um dia me apaixonar por eletrodomésticos.fico olhando pro meu fogão e máquina de lavar e agradeço a presença recente deles na minha casa.a lavadora tem programa até para branco encardido, acabou aquela chatice de deixar de molho.o fogão é tão veloz e inteligente que toda vez que fico ao lado dele, canto de novo ah, se todos fossem iguais a você....ah e ele é espelhado, reflete nossa caminhada.meu lado dona de casa não é nada convencional.aqui em casa todos sabem ser criativos e rápidos nas receitas e seguimos a linha world music, harmonia e entendimento entre várias culturas.com a minha amiga provençal , aprendi a não passar roupa. tem coisa mais brega, por exemplo,do que linho passado a ferro? e algodão só comprova ser 100% puro e verdadeiro se amassa. é só saber espichar no varal. acho muito feio homens todos engomados, desses que levam a camisa no cabide dentro do carro(imagino como eles devem ser na cama...todos programados).a parte que eu mais gosto das tarefas domésticas é a hora de acender velas e abrir a garrafa de vinho.não sou dona de casa, sou dona do meu espaço e do meu cotidiano. nele crio os sabores de acordo com o momento. a última receita ligeira foi a sole que me ensinou, lentilhas com camarões e muitos temperos.nem na cozinha recuso novas misturas. aqui ninguém faz todo dia tudo igual. bem, o dia começa com sucos mirabolantes e o café tão gostoso que ele faz no coador de pano. gosto de pulverizar com canela.sou muito ligada tanto em aromas quanto em sabores( quando estivemos no peru, só eu sentia por trás do sabor dos legumes um cheirinho de lã de lhama).e percebo logo quando algo foi feito sem vontade e sem amor.isso não tem acontecido nem quando como na rua e como muito na rua. acho que as pessoas estão se conectando cada vez mais com a importância do que entra na boca.tomara...
acabei de escrever esse texto e decidi fazer um jantar para a minha filhota que volta de viagem. tenho sido uma mãe muito artist coach, resolvi demonstrar de um jeito mais tradicional todo o meu calor.enquanto cozinhava e buscava os temperos, resolvi procurar algo na tv (que está na cozinha, já que quase nunca assisto). revirei canais fechados e abertos e finalmente parei com o darcy ribeiro falando sobre o povo brasileiro daquele jeito suculento e apaixonado que ele tinha. logo em seguida veio um programa sobre violeiros,violas caipiras, de sete cordas, violas d’amour.fiquei tão feliz por reencontrar o brasil que faz a diferença.andei exausta ultimamente com alguns brasileiros, que vi bem de perto, que só sabem contaminar o ambiente. ah, eles não vão roubar a minha alegria nem a minha criatividade.são apenas produtos com validade vencida.

2 comentários:

Cavaleiro Andante disse...

Adorei seu blog, imagens e palavras.
Achei simples e verdadeiro.
Voltarei mais vezes.

Simonetta disse...

que bom, cavaleiro! volte sempre!

Related Posts with Thumbnails